Categorias
Jogos Visuais Livro de artista

Jogo de sentidos 1995

‘Jogo de sentidos’ (1995) é um pequeno livro onde fui apontando ideias a construir quando frequentava o curso de escultura, no período em que o tema do jogo era central no meu trabalho. Recentemente, consegui restaurá-lo, o que implicou cozer e colar as páginas de novo, estava muito degradado.

Categorias
Blog Jogos Visuais Textos-Visuais

Quebra-Cabeças 1993

Os meus textos-visuais nasceram do trabalho criativo sobre jogos, porque naturalmente também criei jogos visuais de palavras. Na exposição de finalistas do Ar.Co em 1993, apresentei quebra-cabeças onde as palavras eram compostas por módulos com duas letras encaixadas a preto e branco, que permitiam na leitura um jogo entre positivo e negativo. Apresentei ainda um conjunto de desenhos labirínticos, construídos com o mesmo sistema, que mais tarde originaram relevos em terracota e pinturas. Na altura não conhecia a obra dos poetas experimentais portugueses, que foram tema da minha tese de doutoramento nas Belas-Artes de Lisboa na década passada. Não me considero poeta experimental, apesar do jogo e a interdisciplinaridade serem pontos de encontro com estes autores. O meu percurso criativo situa-se num vector contrário: caminhei das artes visuais para a literatura, tanto na minha prática interdisciplinar na juventude, como mais tarde ao ilustrar poesia e ao escrever microficções, enquanto os poetas experimentais caminharam da literatura para as artes visuais ao realizarem exposições e happenings em galerias de arte.

Categorias
Blog Jogos Visuais

Toys are Us 1997-2003

Pintei diversos puzzles a partir de 1991, mas só tenho alguns fotografados. O primeiro neste conjunto foi apresentado na exposição colectiva ‘Toys are Us: constrangimentos objectivos’ (1997) na Cisterna da Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, era um relevo feito com peças recortadas em placas poliurterano e pintadas com acrilico. Este puzzle mede 120x240x10cm e encontra-se numa colecção privada. As peças que faltavam depois fotografei-as nas calçadas de Lisboa. O segundo foi uma encomenda,  acrílico sobre tela, mede 120x150cm e encontra-se numa colecção privada.

Categorias
Blog Jogos Visuais

Nós somos os brinquedos/os brinquedos são nossos 1996

Conjunto de esculturas realizadas na Faculdade de Belas-Artes de Lisboa (1995-1996): peões em poliéster com 3x(75x36x36cm) e dados em cimento 3x(20x20x20cm).

Categorias
Blog Jogos Visuais

Os Intocáveis 1993

‘Os Intocáveis’ em acrílico e colagem de feltro sobre tela, 4x(180×120) cm foi uma paródia ou jogo visual, onde representei quatro ases que remetiam para o filme de Brian De Palma ‘The Untouchables’ (1987), cujo enredo se baseia na saga de Eliot Ness, Jim Malone, George Stone e Oscar Wallace contra Al Capone no tempo da lei seca. Nas pinturas encaixei Andy Warhol no às de paus, apropriando-me de uma das suas flores; Pablo Picasso tranformei-o em às de ouros; as espadas como eram em feltro grosso referiam-se a Joseph Beuys; Marcel Duchamp encaixou no às de copas. As pinturas já não existem e foram realizadas no último ano que frequentei Ar.Co em Lisboa. O slide que encontrei no meu arquivo é da autoria de José Soudo.

Categorias
Blog Jogos Visuais

Quebra-Cabeças 1992

‘Quebra-Cabeças’ (1992) foi uma instalação composta por um conjunto de pinturas em acrílico, com dimensões variáveis. As pinturas eram construídas com módulos rectangulares, onde encaixavam letras diferentes a azul e verde, resultando o conjunto num jogo de palavras, que se podiam encontrar e ler, observando o positivo e o negativo. A instalação fez parte de uma exposição colectiva na Casa das Artes de Tavira de alunos que frequentavam as aulas pintura  do Ivo no Ar.Co.

Categorias
Blog Jogos Visuais

Master Mind: Procure as cores que lhe vão na alma 1992

Master Mind: procure as cores que lhe vão na alma’ foi uma instalação onde simulei vários tabuleiros de ‘Master Mind’ com etapas visuais lógicas, que permitiam adivinhar as cores escondidas. ‘Master Mind‘ é um jogo onde se esconde uma combinação de quatro cores em seis diferentes, podendo estar repetidas ou não. A quem procura adivinhar as cores escondidas, fornecem-se pistas através de círculos brancos ou pretos, indicando cor certa em sítio certo ou cor certa em sítio errado. A instalação foi realizada com círculos em papel de lustro colados nas paredes no bar/refeitório do Ar.Co em Lisboa. A instalação foi projectada na aulas de desenho de João Queiroz e Miguel Branco, professores que me orientaram a utilizar o desenho para a concretizar.