Categorias
Blog Livro de artista Narrativas Visuais

A Casa das Musas (2024)

Livro-Museu em homenagem a Ana Hatherly

Ontem terminei o livro ‘A Casa das Musas’ que tem o seguinte prefácio :
 
Este livro nasceu da génese da palavra Museu (mouseión), que na Grécia Antiga significava ‘O Templo das Musas’, das nove filhas de Zeus e de Mnemósine (a deusa da memória), figuras mitológicas que inspiravam os poetas. Este livro-museu foi criado a partir de nove micro-ficções que escrevi para comemorar o dia e noite dos Museus, numa sessão realizada a 15 de Maio de 2010, organizada por Pedro Sena-Lino na Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves em Lisboa.
 
O título ‘A Casa das Musas’ encontrei-o no livro homónimo de Ana Hatherly, onde a autora concentra parte da sua arqueologia da poesia experimental portuguesa. Nas minhas ficções imaginei uma casa de conhecimento e preservação da memória, com nove espaços dedicados às musas, que aqui desenvolvi em homenagem a Ana Hatherly.
 
Este livro-casa-museu inicia-se com um jardim dedicado a Érato (musa da poesia lírica), seguindo-se um labirinto de escadas em honra de Calíope (musa da poesia épica), com acesso à biblioteca de Clio (musa da história), vizinha do planetário de Urânia (a musa da astronomia), com uma ponte para o espaço de Polímnia (musa dos hinos sagrados), cuja geometria luminosa dá acesso ao teatro de Melpómene (musa da tragédia), ao lado de um labirinto de espelhos dedicado a Tália (musa da comédia), desaguando num salão em homenagem a Terpsícore (musa da dança), comunicando com o espaço de Euterpe (musa da música), ligado circularmente à biblioteca de Clio, para encontrar novamente o espaço de Calíope e o Jardim de Érato.
 
Sejam bem-vindos à Casa das Musas.

Por MJLFernandes

Artista visual e investigadora.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *